2004

MUSEU DO OURO

Sabará
Assim como a cidade descrita por Drummond, o anexo proposto para o Museu do Ouro também brinca de se esconder. Ele é fundamentado nas características básicas e primitivas de ser um abrigo adaptado à natureza. É, assim, premissa fundamental a manutenção da topo grafia natural do terreno, tirando partido de suas inclinações. São criados percursos naturais de rampas, escadas e são formados platôs onde se dão as atividades propostas. As árvores frutíferas mantidas no terreno se tornam pontos de convergência, criando ao seu redor diversas ambiências.
Com a escolha da vegetação apropriada são dadas ambiência e integridade à proposta, adaptando e conjugando a condição existente do Museu às novas funções que aí deverão se desenvolver. O volume do anexo, assim, torna-se uma arquitetura silenciosa e sutil que busca ser minimamente gestual resultando numa simplicidade que se perde e se confunde na homogeneidade da vegetação.
3o.Lugar no Concurso Nacional para o anexo ao Museu do Ouro em Sabará
Autores: Ana Paula Polizzo, Gustavo Martins e Marco Milazzo
Localização:Sabará MG
Data:2004